Ser um estudante inaciano: horizonte de formação

Padre Pedro Arrupe, Superior Geral da Companhia de Jesus entre 1965 e 1983, em sua alocução aos participantes do Simpósio sobre o Ensino Médio intitulado ‘Nossos Colégios Hoje e Amanhã’, nos descreveu as características dos alunos que queremos formar em nossos centros educativos: pessoas de serviço, novas e transformadas, conscientes de seu tempo, da realidade do mundo e seus desafios, abertas ao futuro, voltadas aos demais e equilibradas.

Esses aspectos foram complementados por Pe. Peter-Hans Kolvenbach, Superior Geral da Companhia de Jesus, de 1983 a 2008, que apresentou os quatro C: formar pessoas conscientes, competentes, compassivas e comprometidas, características largamente citadas e aprofundadas até os dias atuais, e que receberam diversos outros acréscimos, a saber, criativas, críticas, coerentes etc.

A dimensão axiológica no que tange ao horizonte de formação dos estudantes de um centro educativo da Companhia de Jesus é componente crucial a ser inserido em suas propostas pedagógicas e nos projetos curriculares, e responde à excelência humana almejada na educação inaciana. Como escreve Arrupe, “se é verdadeiramente da Companhia, isto é, se nele atuamos movidos pelas linhas de forças próprias de nosso carisma, com o acento próprio de nossas características essenciais, com nossas opções, a educação que recebem os nossos alunos os dotará de certa ‘inacianidade’, se me permitem o termo” (pag. 18)

Trazendo para os nossos dias, Pe. Arturo Sosa, atual Geral da Companhia de Jesus, em conversa com Darío Menor, na publicação “A caminho com Inácio”, amplia o horizonte de formação nos trazendo novas perspectivas, tais como o respeito à diversidade, o serviço aos demais, o cuidado com a ‘casa comum’, a necessidade de que os estudantes comecem a se sentir partícipes da sociedade humana numa perspectiva da cidadania global.

Percebemos, no transcorrer do tempo, como essas exortações se complementam, e se alargam quanto aos aspectos formativos de nossos estudantes que transcendem aos tempos, mas que também respondem, de forma especial, a cada época.

Contudo, para a consecução de tantos e desafiadores objetivos, os estudantes de nossas escolas e colégios, em nível crescente de maturidade, são também chamados a envolverem-se e comprometerem-se com o próprio processo de aprendizagem para toda a vida e, com o crescimento em liberdade, a olhar o mundo com esperança para que sejam capazes de torná-lo mais justo, solidário e amoroso.

É imprescindível, para que tal formação ocorra, que sejamos exemplos, testemunhas com nossa própria vida, com nosso respeito e cumprimento à missão educativa da Companhia. E que também sejamos capazes de aprender com e a partir deles, que nos apresentam um mundo novo, a uma nova sociedade que os ajudaremos a construir.

Inspirando-nos no curso dessa trajetória de formação, a exemplo da vida de Santo Inácio, desejamos aos nossos estudantes sabedoria e disponibilidade, segundo a vontade de Deus, para mais servir e amar; do Criador, recebendo amor e graça, no exemplo e seguimento de nosso Senhor, Jesus Cristo.

Rede Jesuíta de Educação